Integrações no open banking – conheça como tirar esse conceito do papel

Em 2021 os brasileiros passam a ter a liberdade de levar seus dados bancários de uma instituição financeira a outra em busca de melhores produtos e serviços. Contudo, para que esse novo cenário realmente funcione, é preciso que as integrações no open banking se consolidem nas rotinas das empresas. 

Expressão que ganhou força entre as instituições financeiras e os usuários com o avanço das fintechs, o open banking (traduzido livremente como “banco aberto”) pode ser compreendido como o compartilhamento de dados dos clientes entre as empresas do setor. Desde que se tenha anuência do consumidor, evidentemente.  

A ideia é garantir maior competitividade entre as empresas e, claro, serviços personalizados de acordo com as demandas e os desejos dessas pessoas. Mesmo assim, seis em cada dez brasileiros (61%) não conhecem e/ou nunca ouviram falar dessa proposta, segundo pesquisa do Ibope encomendada pelo C6 Bank. 

A pesquisa mostra o desafio que o conceito tem no país e exemplifica por que as integrações no open banking exercem grande influência nessa estratégia. De um lado, as instituições que buscam desenvolver soluções para atenderem a essa novidade. Do outro, a sociedade que segue perdida sobre o real impacto da proposta no dia a dia. 

Afinal, poucos setores se mostraram tão reticentes ao avanço da tecnologia quanto o financeiro. Qualquer falha poderia causar um prejuízo gigantesco. Não à toa, o número de usuários que ainda evita os canais digitais bancários, como apps, ainda é grande. É preciso desmistificar de vez esse assunto para o “banco aberto” funcionar no Brasil. 

Avanço da tecnologia é um caminho sem volta

Por anos os bancos tradicionais ficaram marcados pelo isolamento em relação às soluções tecnológicas. Mas a evolução das fintechs, startups que combinam tecnologia com produtos e serviços do setor, mostrou que o mercado financeiro pode se transformar digitalmente com o surgimento de novas ferramentas e plataformas. 

As integrações no open banking surgem para atender a esse contexto. A proposta é impulsionada por experiências bem-sucedidas no exterior e pela necessidade de entregar produtos e serviços personalizados aos consumidores – o que, por sua vez, passa pelo compartilhamento de dados pessoais. 

Por conta disso, o sucesso do projeto de banco aberto no Brasil não depende exclusivamente do investimento da instituição financeira em tecnologia ou até pela anuência e compreensão dos usuários. É preciso garantir um fluxo que permita esse tráfego dos dados entre todas as empresas. 

As vantagens das integrações no open banking 

A melhor estratégia de integração passa pela adoção de uma plataforma capaz de conectar diferentes sistemas utilizados no dia a dia bancário. Assim, é possível otimizar a troca de informações e o desenvolvimento de novos produtos e serviços. Confira as principais vantagens: 

Segurança dos dados 

A principal vantagem que uma integração de sistemas proporciona ao open banking é, sem dúvida, a segurança dos dados trafegados. As APIs dos melhores fornecedores conseguem proteger as informações que trafegam de um sistema a outro, reduzindo significativamente qualquer risco de vazamento. 

Velocidade da informação 

Além disso, as integrações no open banking proporcionam maior velocidade ao tráfego dos dados. Afinal, com as conexões automatizadas entre os diferentes sistemas, as empresas conseguem compartilhar diferentes informações sem depender da ação humana. 

Visão completa do consumidor

Uma plataforma de integração pode conectar os sistemas bancários a diferentes ferramentas disponíveis, como plataformas de marketing, softwares de gestão, entre outros. Esse cruzamento de dados possibilita uma visão mais completa dos consumidores e, claro, de suas principais necessidades. 

Inteligência nas decisões

Os gerentes bancários terão em mãos dados melhores e mais completos sobre correntistas e potenciais clientes. Dessa forma, eles têm mais subsídios para embasar a tomada de decisão, somados a mais inteligência para criar campanhas e pacotes de serviços personalizados para cada um deles. 

Conte com o melhor parceiro de integrações do país 

Agora que você já viu a importância das integrações no open banking, é preciso saber como escolher o melhor parceiro nesta empreitada. O fornecedor de tecnologia deve apresentar expertise e know-how na área, uma vez que vai ser responsável por colocar em prática esse conceito. 

Nós, da Wevo, temos quase uma década de experiência na oferta de plataformas de integração como serviço (iPaaS) e somos a primeira empresa da América Latina nesse segmento. Além do Brasil, participamos de projetos de diferentes segmentos em mais dez países, incluindo América Latina, América do Norte e Europa!

Quer saber mais como podemos ajudar sua empresa? Então entre em contato e solicite uma demo!