Lá fora e aqui as lições que o Brasil pode aprender sobre transformação digital

Por Diogo Lupinari

É possível citar bons exemplos de transformação digital nas empresas brasileiras, mas é preciso reconhecer que, de modo geral, ainda estamos muito atrás nesse assunto.

A pandemia de covid-19, de certa forma, ajudou a reduzir essa distância, obrigando as organizações a digitalizarem seus processos, mas há outros elementos que precisam ser estimulados para que o conceito floresça realmente no país.

Dessa forma, se inspirar em bons exemplos pelo mundo é uma opção interessante. A Harvard Business Review tem um indicador que analisa a evolução digital dos países e os classificam em quatro zonas: stall out (maduras), stand out (aceleração), break out (lançamento) e watch out (observação).

Dentro desses grupos, confira cinco lições importantes que podem guiar as empresas brasileiras: 

1 – Noruega e sua conectividade

Quando se fala em listas referentes à tecnologia, o país nórdico dificilmente é lembrado. Contudo, conta com um ambiente propício para a transformação digital em seu território.

A Noruega ocupa o topo na zona stall out, que representa países com economias digitais maduras e consolidadas. Isso ocorre devido a um trabalho em conjunto entre poder público e iniciativa privada.

Enquanto o primeiro oferece as condições essenciais, como acesso à conexão ultrarrápida de internet a 90% das famílias norueguesas, as empresas incluem a digitalização dos processos entre as principais metas de trabalho. 

2 – Coreia do Sul e a inovação

A pandemia de covid-19 mostrou ao mundo, mais uma vez, a capacidade de inovação da Coreia do Sul. O país asiático desenvolveu ferramentas tecnológicas para monitorar e conter o avanço do novo coronavírus em seu território – com sucesso!

Reconhecida pela velocidade e cobertura da internet (o 5G já é realidade por lá), a nação também está presente no grupo de digitalização madura.

Isso porque há um movimento grande de investimento em P&D (pesquisa e desenvolvimento), levando as organizações a aprimorarem, continuamente, as principais tendências de transformação digital.  

3 – Singapura e o apoio orçamentário 

Na última década, esta pequena ilha da Ásia chamou a atenção de grandes empresas e profissionais de tecnologia – a ponto de ser um dos países com mais destaque na zona stand out, que agrupa quem está num ritmo acelerado de transformação digital.

Não é por menos. Singapura não poupa recursos para auxiliar profissionais e empresas na inserção à economia digital. Uma das mais recentes iniciativas é a criação do escritório Digital Industry Singapore (DISG), cujo objetivo é aproximar as instituições públicas para atrair investimentos, capacitar mão de obra bem como apoiar startups e negócios locais. 

4 – Estônia e a digitalização de serviços 

Não há dúvidas de que a burocracia é um grande obstáculo para a transformação digital em um país. Leis antiquadas e processos morosos, tanto no poder público quanto na iniciativa privada, minam qualquer iniciativa de mudança.

A Estônia, pequeno país báltico no nordeste da Europa, cortou o mal pela raiz e digitalizou quase que a totalidade de seus serviços. Abrir empresa, comprar uma casa, eleger um presidente e até se divorciar são atos que podem ser feitos pela internet.

A digitalização da sociedade como um todo acelerou a transformação de suas empresas, colocando a nação na zona stand out ao lado de gigantes como os Estados Unidos, Japão e Alemanha.  

5 – Colômbia e o planejamento estratégico O Brasil é o maior país da América do Sul, mas hoje o bom exemplo de transformação digital do continente vem da Colômbia – o país andino está na zona de break out, ou seja, se prepara para decolar.

Nos últimos quatro anos, o poder público colombiano criou um planejamento estratégico para incluir a digitalização dos processos em áreas consideradas prioritárias em sua estrutura socioeconômica, como educação, saúde, agropecuária, financeira, entre outras.

Além disso, criou regras para coordenar ações de acordo com metas e objetivos a curto, médio e longo prazo.